terça-feira, 27 de agosto de 2013

vídeo-documentário Efemera Cidade, metáforas do abandono.

Entre os dias 06 de abril de 2013 e 10 de maio de 2013, acompanhado pelos amigos do curso de Audiovisual do Centro Universitário Senac, participei de uma coleta de depoimentos e imagens da arte urbana sobretudo em São Paulo. Foram entrevistados Daniel Melim e Michel CenaSete em São Bernardo do Campo - ABC paulista - em uma tarde que rendeu muito, por sinal era o dia de inauguração da Expo Coalisão de Daniel melim e Fábio A na Nano Galeria. 
No Jardim Primavera, zona sul de são paulo entrevistei Daniel Bazco, artista urbano que acompanhamos uma saída sua para pintar, surgindo a partir daí um material muito revelador sobre o grafite, suas definições e os pormenores que o englobam. 
No Centro Cultural São Paulo entrevistamos Law Tissot, artista punk da cidade de Rio Grande, onde em uma conversa objetiva falamos sobre a arte urbana, suas relações com o efemero e como o artista relaciona-se neste contexto. Por fim após dois dias de um verdadeiro live painting, onde executei visualmente uma retratação da vida da arte urbana, as sobreposições de arte sobre arte, os atropelos, o cinza que sempre é aplicado dando fim às arte murais da cidade, produzimos um material usada na abertura inicial, e ao final da tarde entrevistamos Clark Ars, artista paulistano que faz do stêncil um veículo rápido para se comunicar.
A Direção de Fotografia e a Edição de Som ficou a cargo do fotógrafo e sound designer Rodrigo Madeira, a Produção, Edição e operação de câmera sob a batuta de Fellipe Mandu, a Assistência de Fotografia com Pedro Tomin. Roteiro e Direção por este que vos escreve, Wendell Sacramento e a Direção de Arte  compartilhada de Fellipe Mandu e Wendell Sacramento.
O video-documentário foi exibido em sua estréia no aniversário de 10 anos do Ponto de Cultura ArtEstação na cidade de Rio Grande, no Rio Grande do Sul e em breve estará on-line em canal do Vimeo e Youtube. Por ora algumas fotos para que vocês possam apreciar um pouco do visual do Vídeo-Documentário Efemera Cidade.














 Acima um clássico atropelo ou "Bomb".

 Law Tissot

 O Lambe-lambe enquanto intervenção artistíca na cidade.










 Sob as camadas de tintas do grafiteiro Daniel Bazco, a bandeira do Brasil.


 A arte urbana habitando os muros, nascendo e morrendo nas ruas, acompanhada geralmente da própria exclusão social, de onde origina-se muitas vezes a própria razão da arte urbana. Nas palavras de Michel CenaSete "O Grafite é a metáfora do abandono..."
 Efemeracidade, 2013 - 24 min.

Nenhum comentário:

Postar um comentário